segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Descobre, aprende...



Fala-se muito do dia das Bruxas ou do Halloween, predominante nos países anglo-saxónicos, em que as crianças batem às portas pedindo treat or tricks (doces ou travessuras) mas em Portugal temos uma tradição muito semelhante e antiga: o Pão por Deus.
Em Portugal no dia 1 de Novembro, Dia de Todos-os-Santos, as crianças saem à rua e juntam-se em pequenos bandos para pedir o Pão-por-Deus (ou o bolinho) de porta em porta. O dia de Pão-por-Deus, ou dia de todos os fiéis defuntos, era o dia em que se repartia muito pão cozido pelos pobres.
Quando pedem o pão-por-deus, as crianças recitam versos e recebem como oferenda pão, broas, bolos, romãs e frutos secos, nozes, tremoços, amêndoas ou castanhas, que colocam dentro dos seus sacos de pano, de retalhos ou de borlas.
Em algumas povoações da zona centro e estremadura chama-se a este dia o ‘Dia dos Bolinhos’ ou ‘Dia do Bolinho’. Os bolinhos típicos são especialmente confecionados para este dia, sendo feitos com base de farinha e erva doce com mel (noutros locais leva batata doce e abóbora) e frutos secos como passas e nozes. São chamados "Santorinhos".
São vários os versos para pedir o Pão por Deus:
Ó tia, dá Pão-por-Deus?
Se o não tem Dê-lho Deus!.
Ou então:
Pão por Deus,
Fiel de Deus,
Bolinho no saco,
Andai com Deus.

Podem ver o grupo Galo Gordo a cantar a canção Pão por Deus:

 

 As crianças e os adultos que participam nos peditórios representam as almas dos mortos que «neste dia erram pelo mundo», quando pedem pão para para partilhar com as almas. O pão por Deus é uma oferenda que se faz às próprias almas.

Alguns exemplos destas tradições pelo país:
Em Barqueiros, Conselho de Mesão Frio,(distrito de Vila Real) à meia-noite do dia 1 para 2 de Novembro, arranjava-se uma mesa com castanhas para os parentes já falecidos comerem durante a noite, “não devendo depois ninguém tocar nessa comida, porque ela ficava babada dos mortos”.
Na aldeia de Vila Nova de Monsarros, (fica entre a vila do Luso e a cidade de Anadia.) as crianças faziam os "santórios", recebiam fruta e bolos e cada criança transportava uma abóbora oca com figura de cara, com uma vela dentro.
"Em Roriz (freguesia do concelho de Santo Tirso) não se chama Pão por Deus, nem bolinhos, nem santoros a comezaina que se dá aos rapazes no dia de Todos os Santos ou de Finados. O que os rapazes vão pedir por portas, segundo lá dizem, é — os fiéis de Deus."

Nos Açores dão-se “caspiadas” às crianças durante o peditório, bolos com o formato do topo de uma caveira, claramente um manjar ritual do culto dos mortos.

Esta atividade é também realizada nos arredores de Lisboa. Antigamente relembrava a algumas pessoas o que aconteceu no dia 1 de Novembro de 1755, aquando do terramoto de Lisboa, em que as pessoas que viram todos os seus bens serem destruídos na catástrofe, tiveram que pedir "Pão-por-Deus" nas localidades vizinhas que não tinham sofrido danos.
Com o passar do tempo, o Pão por Deus sofreu algumas alterações, e os meninos que batem de porta em porta podem receber dinheiro, rebuçados ou chocolates.
Quando pedem o Pão-por-Deus, as crianças recitam versos e recebem como oferenda pão, broas, bolos, romãs e frutos secos, nozes, tremoços, amêndoas ou castanhas, que colocam dentro dos seus sacos de pano, de retalhos ou de borlas.

(Inf. Via http://pumpkin.pt/)

Descobre o que é de tradição portuguesa


Muita coisa aconteceu neste Mês de Outubro---

12º ANIVERSÁRIO DA NOSSA BIBLIOTECA
























"Encontro com..." "Micaela e Francisca Guardiano" - Mês Internacional das Bibliotecas Escolares











quinta-feira, 13 de outubro de 2016

O nosso cartaz



Já foram três as reuniões com os pais dos nossos alunos do 1º Ano...

Sessão de lançamento  do Projeto de Promoção de Leitura em Família - PNL - para os pais dos alunos do 1° Ano com a presença da Diretora do Agrupamento, Doutora Ana Alice Rodrigues e a Coord. do Departamento de 1° Ciclo, Prof.Conceição Postiga.

 




E o "Encontro com... " é....




A montra possível para o Dia da Alimentação




A alegria de sempre por levar um livro para casa e o sossego no projeto LAC