quinta-feira, 18 de maio de 2017

Recordar....Em 2013 foi assim...















E já está "oficialmente" aberta, na "casa pequena" onde todos cabem, a preparação para a Festa dos Tapetes de Flores 2017

1° grupo - alunos do 4° ano - turma da Prof. Isabel Antão. "Descobrir, Conhecer e Manter Tradições"



@s voluntári@s para o nosso tapete de flores :-) Aproveitar o tempo do intervalo




Descobrir, conhecer tradições...

More presentations from Ana Luisa de Beirao

Tapetes de flores em Vila do Conde - ajude, seja voluntário

Tradição secular que se realiza de quatro em quatro anos, os tapetes de flores que embelezam as ruas do Centro Histórico e atraem milhares de visitantes a Vila do Conde, são realizados por vilacondenses que, ao longo de semanas se unem para desfolhar flores. Se não mora numa das ruas onde haverá tapetes, pode ajudar na mesma. Venha participar nesta iniciativa - contacte o Banco Local de Voluntariado da Câmara Municipal de Vila do Conde, tel: 252248400, Dr.a Eugénia Moreira, e-mail: voluntariado@cm-viladoconde.pt A sua colaboração é muito importante.

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Descobre ....

O Dia da Mãe foi oficialmente criado pela norte-americana Anna Jarvis, que perdeu a sua mãe em 1904. Mas a História deste dia começou muito antes, há mais de 2000 anos!
Anna Jarvis
As mais antigas celebrações do Dia da Mãe estão ligadas à comemoração do início da Primavera, na Grécia Antiga. Estes festejos eram em honra da Deusa Rhea, mulher de Cronos e mãe de todos os deuses desta cultura.
Por seu turno, em Roma, as festas comemorativas do Dia da Mãe eram dedicadas a Cibele, a mãe dos deuses romanos. O dia dedicado a esta deusa foi criado cerca de 250 anos antes do nascimento de Cristo.
Durante o século XVII, a Inglaterra celebrava no 4º Domingo da Quaresma (os 40 dias antes da Páscoa) um dia chamado "O Domingo da Mãe", dedicado a todas as mães inglesas. Nesta época, a maior parte da classe baixa inglesa trabalhava longe de casa e vivia com os patrões.
Assim, no Domingo da Mãe, os criados tinham um dia de folga e eram encorajados a regressar a casa e passar esse dia com a sua mãe.
Sabias que a primeira vez que se falou realmente num dia especial só para mães foi nos Estados Unidos em 1872?
Julia Ward Howe
Julia Ward Howe e algumas colegas uniram-se para lutar contra a guerra e, segundo elas, o Dia da Mãe seria um dia de paz
Só em 1904 é que a ideia começou a pôr-se em prática.
Quando a mãe morreu, Anna Jarvis começou a chamar a atenção das pessoas para a importância de um dia especialmente dedicado a todas as mães. Três anos depois, a 10 de Maio de 1907, conseguiu celebrar o primeiro Dia da Mãe.
Nesse dia, Anna Jarvis enviou à igreja onde estava a ser feitas as comemorações 500 cravos brancos. Estas flores deviam ser usadas por todos e simbolizavam todas as coisas boas da maternidade.
Ao longo dos anos esta senhora enviou mais de 10 mil cravos para a igreja:
- encarnados para as mães ainda vivas e
- brancos para as já desaparecidas.
Sabias que ainda hoje os cravos são mundialmente considerados os símbolos da pureza, força e resistência das mães?
O objetivo deste dia é dar mais atenção à importância das mães, pensar nelas, conversar, oferecer presentes e descobrir novas maneiras de lhes dar felicidade!
Em 1911, o Dia da Mãe foi celebrado em praticamente todos os Estados Unidos da América e, em 1914, o presidente declarou oficialmente e a nível nacional o 2º Domingo de Maio como o Dia da Mãe.
Hoje em dia, celebra-se o Dia da Mãe com pouco conhecimento de como tudo começou. No entanto, podemos identificar-nos com o respeito, o amor e a honra demonstrados por Anna Jarvis.
Apesar de cada país escolher datas diferentes ao longo do ano para festejar o Dia da Mãe, o objetivo é sempre o mesmo: homenagear aquela que nos põe no mundo!
Em Portugal, até há alguns anos atrás, o Dia da Mãe era comemorado a 8 de Dezembro. Sabias que este é o dia de Nossa Senhora da Conceição, ou seja, o dia de Nossa Senhora como mãe. Por isso foi escolhido este dia. 


 Atualmente, em Portugal, o Dia da Mãe é comemorado no 1º Domingo de Maio!
(Inf.via junior.te)

MAIS SUGESTÕES PARA FALAR DA MÃE


TÍTULO: A Minha Mãe é... Super-Mãe
AUTOR: Irina Melo e Carla Jorge
EDITORA: Máquina de Voar
SINOPSE:
Para os filhos, a profissão dos pais é quase mágica. Um mundo desconhecido de que ouvem falar em casa e têm curiosidade me descobrir. A Minha Mãe é… Super-Mãe vai além das profissões. Conta como, mais do que um emprego fora de casa, as mães têm ainda o trabalho de serem... mães. Mães que têm todas as profissões do mundo, que são protetoras, carinhosas, inteligentes. Aos olhos do filho, e aos nossos, têm super-poderes.


TÍTULO: A Minha Mãe é a Melhor do Mundo
AUTOR: Maria João Lopo de Carvalho
EDITORA: Oficina do Livro
SINOPSE:
Cansado da mãe que tem, e que muitas vezes não o deixa fazer o que quer, o Gil decide ir à Loja de Mães à procura de uma que lhe torne a vida mais fácil. Mas nenhuma Ihe agrada. De regresso a casa, o Gil não encontra a mãe, que, entretanto, foi à procura de outro filho. Como acabará esta história? Um conto divertido e sério ao mesmo tempo, que fará as crianças rir e pensar.



TÍTULO: A Mãe é que Sabe
AUTOR: Joana Gama e Joana Paixão Brás
EDITORA: Marcador
SINOPSE:
Mais do que uma ida à esteticista, o que toda a mãe precisa, ainda para mais nos primeiros tempos, é de se sentir compreendida, acompanhada e confiante (quase parecia um anúncio a pensos higiénicos agora, nós sabemos).
A mãe é que sabe. E se há alguém que tem de meter isso na cabeça, somos nós, as mães. Produto de um blogue criado com muito amor mas, à semelhança dos bebés, com muito cocó também à mistura, este livro que pretende ser a melhor amiga de quem esteja a passar pela maternidade (não o edifício em si, mas a aventura de ser mãe).
Infelizmente nem sempre engravidamos ao mesmo tempo que as nossas amigas e, por isso, ou fazemos um bloguezinho (ups) ou ficamos a falar com as paredes.

TÍTULO: Eu Adoro a Minha Mãe
AUTOR: Giles Andreae
EDITORA: Booksmile
SINOPSE:
Com textos simples e em rima, e ilustrações encantadoras, Eu Adoro a Minha Mãe é a leitura ideal para partilhar, ler e reler em qualquer momento. Um livro ternurento e inspirador sobre o maravilhoso relacionamento entre mães e filhos. Um livro mágico e inesquecível!


TÍTULO: O que tem a Barriga da Mãe?
AUTOR: Luís Belo
EDITORA: Presença
SINOPSE:
Uma barriga que cresce é motivo de curiosidade.
E se for a barriga da mãe? 
Nesse caso a curiosidade aumenta. 
A única coisa que sabemos, relacionada com a barriga redondinha da mamã, é que se trata de uma novidade-espantosa-especial.
Aquários com peixinhos, reis maldispostos, ou árvores prontas a emergir do umbigo?
Afinal, qual é a resposta para este mistério?




TÍTULO: O Que Há… Nos Cabelos da Minha Mãe?
AUTORA: Fabíola Lopes
EDITORA: Editorial Novembro
SINOPSE:
O Que Há... Nos Cabelos da Minha Mãe? é o segundo livro de uma coleção de afetos, onde o imaginário infantil é revisitado numa viagem aos momentos que marcam a infância e edificam o adulto por ser.
Uma homenagem aos seres que nos habitam a existência.




TÍTULO: Mãe Borboleta
AUTORA: Vera Ximenes
EDITORA: Afrontamento
SINOPSE:
Mãe Borboleta é a materialização do amor incondicional de uma mãe pelas suas filhas. Consciente da sua doença (cancro da mama) e antevendo o sofrimento por que iriam passar, Vera Ximenes escreveu e ilustrou esta história que, de uma forma mágica e delicada, descreve todo um percurso de Resiliência… Perseverança… Oportunidade… Fé… Força… Coragem… Esperança… Transformação! Com ilustrações encantadoras, acompanhadas pela ternura de um texto singelo, esta é uma história comovente e cativante que promete tocar os corações de quem a ler.




TÍTULO: Quando a Mãe Era Pequena
AUTORA: Joana Cabral
EDITORA: Máquina de Voar
SINOPSE:
Este livro é para todos. É um álbum ilustrado que fala sobre algumas diferenças entre gerações. Um tema que suscita sempre a curiosidade dos mais novos. As crianças adoram saber e os adultos adoram contar. Como era quando os pais eram pequeninos? Aqui não há lugar para sermões nem se pretende dizer que dantes é que era bom e que agora o mundo está todo ao contrário. Nada disso. Mas o mundo era de facto diferente, sem microondas, computadores e telemóveis e sem DVDs e desenhos animados 24 horas por dia. Parece inacreditável mas era assim. A televisão a cores era um luxo, não tínhamos comandos e só existiam 2 canais. Mas, por mais avançada que seja a tecnologia, há coisas que nunca mudam, como o amor entre pais e filhos.

quarta-feira, 3 de maio de 2017

Algumas opções para falar sobre a MÃE

Narrativa versificada sobre as ligações afectivas entre a mãe e os filhos, este livro de José Jorge Letria é também um hino à família, aos seus rituais e rotinas, relembrando o papel que ela desempenha na vida de todos e, muito em particular, na vida das crianças. Com um discurso acessível, a que se juntam as rimas e os ritmos próprios do texto poético, o autor promove a identificação dos leitores com o universo recriado e com as personagens, chamando a atenção para o papel insubstituível da mãe.
Por: Ana Margarida Ramos
Título:A Minha Mãe
Autor: José Jorge Letria
Editora: Ambar 


Álbum da autoria do prestigiado criador Anthony Brown, A Minha Mãe surge agora no mercado português numa edição de grande formato. Explorando a relação afectiva entre mãe e filho, o livro dá voz a este último e recria a visão que ele possui da figura maternal. Observada a partir do ponto de vista infantil, ela multiplica-se em funções e actividades diferenciadas, evidenciando a sua importância no ambiente familiar. A profunda admiração que a criança sente pela mãe mistura-se com o amor, a necessidade de protecção e faz dela, simultaneamente, uma mãe única e especial, mesmo se igual a muitas outras mães…
As ilustrações amplificam os sentidos de um texto muito breve e muito simples, explorando diferentes metáforas associadas a comportamento materno. Além disso, o criador utiliza o padrão florido do roupão da mãe como elemento coesivo do ponto de vista visual, actuando como fio condutor da leitura do texto e das imagens. Vocacionado para a família, este álbum, como outros do autor, exige múltiplas leituras, de preferência realizadas ao colo da mãe.
Por: Ana Margarida Ramos
Título:A Minha Mãe
Autor: Anthony Brown
Editora: Caminho

domingo, 23 de abril de 2017

Ontem, DIA MUNDIAL DO LIVRO



"Acredito mesmo que se há forma de defender a liberdade é mesmo promover a leitura, porque a leitura liberta e permite-nos exprimir livremente aquilo que cada um escreve, qualquer que seja a língua em que escreve."
Primeiro Ministro António Costa

Ministro da Educação e aluno - ler é para todos, inclusão 
Homenageando a pronúncia do norte, o Ministro Tiago Bradão, optou por um trava línguas "O rato roeu a rolha"

"A literatura e o desporto fazem um homem para a vida"
Nuno Delgado

Projeto PNL, aí vem mais uma década 2017-2027
"LER É PODER"
"LER TODAS AS PALAVRAS DO MUNDO"
"Alargar o publico Alvo;
Incentivar a prática da escrita;
Valorizar todas as formas de ler;
Ler sempre e em toda a parte;
Reforçar o trabalho colaborativo em BM e BE ...."

Dr.a Teresa Calçada